01 março 2011

Sega Saturn: jogos brasileiros, americanos, europeus ou japoneses, quais comprar?

Quem começa a colecionar jogos para o Sega Saturn já deve ter se deparado com esta questão: comprar jogos nacionais, americanos ou japoneses? Aqui vou tentar expor os prós e contras de cada versão e tentar assim fazê-los poupar dinheiro.

Para início de conversa, é preciso saber os jogos de qual região o seu console é capaz de rodar, pois o Saturn possui trava de região. No caso de consoles sem modificações,  não há dúvida: você TEM que comprar jogos da mesma região do seu console. Mas se você possui um console (de uma região qualquer) chaveado, tem a liberdade de poder jogar as versões americanas/brasileiras e japonesas dos jogos. E se você tem um cartucho ST-Key ou um Action Replay Pro ou Action Replay Plus, poderá ainda rodar jogos europeus, bem como das já citadas regiões.

Para este grupo é que surgem as dúvidas, vamos lá então:

  • Jogos Europeus: eu não posso falar NADA sobre os jogos europeus, isso por que não tenho nenhum. Aliás, posso citar aqui um forte ponto negativo para a compra de jogos desta região: são muito difíceis de se encontrar para comprar no Brasil.
  • Jogos Americanos: os jogos americanos rodam na maioria dos consoles presentes no Brasil, pois a maioria destes consoles é fabricado pela Tec Toy, que aceita jogos americanos e brasileiros. Os jogos americanos são relativamente fáceis de achar, mas dependendo do título, podem atingir altos preços quando em perfeito estado, se comparados às versões japonesas.

     Os jogos americanos são a melhor opção no caso de RPGs e jogos em que é preciso entender todos os diálogos, pois é muito mais provável que você entenda inglês do que japonês, não é mesmo? Jogar RPGs em japonês sem entender nada de japonês se torna um jogo de tentativa e erro.

    Mas os jogos americanos tem uma série de desvantagens que fazem os japoneses serem melhores na maioria dos títulos. O já citado preço é um ponto negativo. Outro é a qualidade dos manuais e da parte gráfica: a grande maioria dos manuais é em preto e branco e perde feio para as artes dos manuais japoneses. Mas a maior desvantagem na minha opinião é a caixa dos jogos. Os jogos americanos vem em caixas que parecem caixas de CD mas do tamanho de caixas de DVD. Ou seja, quebram muito fácil, como as caixas de CD e você provavelmente não vai encontrar uma caixa em perfeito estado por aí para substituir a quebrada. É muito chato isso.
  • Jogos Brasileiros: Os jogos brasileiros compartilham dos mesmos pontos fortes e fracos dos americanos. O idioma é com certeza o maior destaque destes jogos, pois vem com caixas e manuais em português e os jogos em geral em inglês. Mas os manuais são ainda mais toscos que os americanos. Os manuais dos jogos brasileiro de Saturn são exatamente iguais aos de Mega Drive lançados por aqui. Um banho de água fria para colecionadores.  E piorando novamente o que já era ruim nos seus irmão americanos, os jogos brasileiros sequer vem em uma caixa decente. A caixa é toda feita de papelão! Isso significa que se a caixa danificar, você não estará perdendo só a caixa, como o encarte traseiro e a capa do jogo! Muito chato isso. As caixas brasileiras também tem uma forte tendência a ficarem amareladas, feias, amassadas e sujas, afinal, são de papel!
  • Jogos Japoneses: Se você leu tudo até aqui, já deve ter antecipado que os meus favoritos são os japoneses, né? Os jogos japoneses tem artes na capa e nos manuais muito bonitas. Os manuais são quase sempre super coloridos, embora pouco se entenda deles, pois estão em japonês.
    As versões japonesas vem em caixas de CD comum na maioria dos títulos, o que significa que ocupam pouco espaço, podem ser usados em diversos organizadores de CDs e se quebrarem, a reposição é muito fácil e barata.

    Um fato curioso sobre os jogos japoneses é que eles existem em abundância no Mercado Livre e muitas vezes são mais baratos do que as versões americanas ou brasileiras. Muitos desses jogos são totalmente em inglês, o que elimina totalmente a barreira do idioma. Outros que são em japonês, dependendo do gênero, continuam plenamente jogáveis, como é o caso dos jogos arcade, de corrida e de luta por exemplo.

    Os poucos títulos em que o idioma é uma barreira grande o suficiente para impedir uma boa jogatina com certeza são os RPGs e adventures. Aí não tem jeito. Ou você aprende japonês ou compra o jogo americano.

    Há no entanto inúmeros casos de jogos em que você não terá escolha: só existe a versão japonesa para comprar. Estão neste caso pérolas como os jogos de luta da Capcom que usam cartucho, o excelente Dead or Alive, o Touge King The Spirits e o Elevator Actio Returns por exemplo.
Em resumo: jogos japoneses são mais baratos de comprar, manter e às vezes são a única opção.

A seguir, deixo algumas fotos comparativas de títulos que tenho japoneses e americanos/brasileiros.

Street Fighter Alpha (Zero) 2, versão japonesa (esquerda) e americana (direita):

vista traseira:

O SFZ2 é um caso raro aonde o manual americano é colorido, no entanto, o manual japonês é muito superior, contando com os golpes de todos os personagens do jogo. O manual americano só tem os golpes dos personagens novos desta versão.

Abaixo, um exemplo típico de manual americano, neste caso, do Virtua On. Podemos ver que o japonês é muito mais bonito e interessante, dedicando uma página para cada personagem, enquanto no americano, eles colocaram 4 personagens por página.

Caixa do Earthworm Jim 2 americano quebrada: não há muito a se fazer...

Não é só a arte da caixa e manuais que são bonitas nas versões japonesas. Os próprios CDs às vezes tem artes incríveis como mostra o Dead or Alive e o Panzer Dragoon.

Sega Rally japonês (esquerda) ao lado do brasileiro (direita): a caixa de papelão é muito frágil!

Pelo menos na versão nacional dá para entender o que tem escrito atrás da caixa. :4 )

Eles podiam ter caprichado mais no manual nacional (o preto e branco). Nesta foto abaixo, vemos a página dedicada às pistas dos Sega Rally. No brasileiro, descrições condensadas em uma página sem o traçado dos circuitos. No manual japonês, além da descrição há o traçado dos circuitos. É assim com a maioria dos jogos. Os manuais japoneses são em geral mais completos.


Um grande abraço para todos os leitores!

3 comentários:

Leandro Alexandre disse...

Po, nem sabia q o primeiro Virtual On era do Saturn! Só conhecia a versao do DC!

MDA Games disse...

Ótimo post, bem legal as curiosidades e características das caixas.
Minha coleção só tem um americano com caixa, o Bug, e bem trincada..., dois nacionais completos: Manx TT e Fifa 97, mas ambos bem amassados...
E vários japoneses (nenhum de rpg infelizmente) em perfeito estado.
Tb tenho vários americanos sem caixa, uso caixinhas normais e imprimo encartes, só para quebrar o galho.

Oz, vc tem um e-mail pessoal? Consegui um Saturn destravado e veio com um cartucho junto, mas está tudo em japones e tem uma chave nele desconfio ser um Action Replay. Como vc entende bem de saturno, queria mandar uma foto para vc me dizer o que acha.
Valeu!!!

Bruno Oz disse...

Fala MDA Games, tudo bom?
Cara, eu não divulgo o meu email aqui direto no blog para não ficar recebendo SPAM.
Use o botão contato lá na parte superior do blog e me mande uma msg com seu email que respondo.

abraçOZ